A5)  Ganhos e Perdas do carbono orgânico do solo 

A quantificação do efeito das culturas agrícolas, das pastagens e respetivos sistemas de gestão no balanço dos GEE é na atualidade insuficiente a nível Europeu e particularmente nos países do Mediterrâneo. 
Uma revisão de todos os dados de atividade existentes disponíveis junto das instituições responsáveis pelo reporte das emissões e sequestro das culturas agrícolas e pastagens irá permitir avaliar a qualidade dos dados atualmente disponíveis, assim como a identificação das lacunas existentes. Esta ação tem como objetivo avaliar a qualidade e quantidade dos dados disponíveis para o carbono orgânico dos solos minerais. Os dados dos diferentes países serão inseridos numa base de dados comum que reportará os teores de carbono orgânico no solo (ex. concentrações e/ou armazenamento) para os diferentes tipos de culturas agrícolas e de pastagens nos diferentes sistemas de gestão definidos na Ação  A.2
Um objetivo secundário é a identificação de novos fatores relacionados com a alteração dos sistemas de gestão associados às categorias: culturas agrícolas e pastagens. 

 

Esta ação terá como principal foco:

  • Troca de informação sobre o carbono orgânico do solo e sistemas de gestão das culturas agrícolas e das pastagens

  • Métodos para detetar alterações do teor de carbono orgânico no solo por alteração do uso do solo para culturas agrícolas ou pastagens e vice-versa

  • Avaliação do teor de carbono orgânico do solo nos diferentes tipos de gestão aplicados às culturas agrícolas e pastagens nos países do mediterrâneo

  • Métodos para detetar as alterações do teor de carbono orgânico no solo devido à alteração das práticas de gestão

  • Oportunidades e dificuldade no uso da base de dados de solo LUCAS